quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Desertor da trincheira do direito


Desertor da trincheira do direito

Miguel Peixoto

A partir desse momento

Não lhe preocupam mais

As lides processuais

Prescrição, depoimento

Queixa crime, julgamento

A sentença e seu efeito

Quem é o juiz do feito

Qual é da súmula o teor

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Não impetra mais ação

Data venia não diz mais

Embargos também não faz

Nem faz impugnação

Mandado de injunção

Por você não será feito

Não se declara suspeito

Nem contra nem a favor

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Precisa a sociedade

De ação reipersecutória

Ordinária, rescisória

Ou dissecção da verdade

De quem peça a nulidade

Ante o contrato imperfeito

De quem exija o respeito

Ante o agente agressor

Mas você é desertor

Da trincheira do direito


Você correu da tribuna

Não respondeu ao libelo

Em vez de Bernardes Melo

Você hoje lê Fábia Luna

Fala com Ricardo Prona

Não usa disputa ou pleito

Trata de exame e leito

E de vasodilatador

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Você trata de embolia

De enxerto arterial

Fala em drenagem pleural

Em estase e isquemia

Já em deontologia

Mostra que o médico é sujeito

Ao código de ética aceito

Ao qual não pode se opor

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Sobre Evandro Lins não fale

Um piauiense douto

Não fale em Vilela Souto

Sobre Rui Barbosa cale

Não cite Miguel Reale

Um acadêmico insuspeito

Um jurista de conceito

Poeta e educador

Que você é desertor

Da trincheira do direito


Hoje o que mais o seduz

Não é show, teatro ou cine

É ler Euclides Zerbini

É falar de Oswaldo Cruz

Seu negócio agora é SUS

Angina que ataca o peito

Já está ficando afeito

A tratar com morte e dor

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Nem ações nem desavenças

Salvo ações auxiliares

Como as médico-hospitalares

Pela cura das doenças

Nada de acórdãos, sentenças

Ou de juiz contra feito

Ao condenar um sujeito

Por falha do defensor

Você é um desertor

Da trincheira do direito


Nova bandeira desfralda

Dessa vez a da saúde

Mas saiba do ataúde

A vida se desgrinalda

Nada pode a esmeralda

Quando o caso não tem jeito

A morte leva de eito

Qualquer um seja quem for

Até você desertor

Da trincheira do direito


Ao menos guarde o rubi

Esta insígnia vermelha

Que lhe serviu de centelha

No seu tempo de Davi

Lutando aqui e ali

No combate ao preconceito

Disseminando o preceito

Da justiça e do amor

Que você é desertor

Da trincheira do direito

3 comentários:

Meu cabelo não nega disse...

Esse cara aí é o meu médico.

Alexandre Sopas disse...

muito bom o texto!
:)

Flavia disse...

Eu quero um para a desertora da medicina e agora amante do direito!!!!